Android Studio – Desenvolvimento de aplicações

O Android Studio é um IDE para desenvolver aplicações para plataforma Android. Anunciado em 2013, com a primeira versão estável a ser lançada em 2014 veio “combater” assim o  Eclipse + ADT (Android Developer Tools) que era o que se utilizava para o desenvolvimento.

A versão mais recente é um preview 2.0 pelo que o aconselhado é o download da versão 1.5 aqui.

Ambiente Android Studio

Para os mais habituados a programar com Eclipse + ADT, existem algumas alterações a ter em consideração. Para isso, importa clarificar que o que era chamado de “workspaces” deixa de existir no Android Studio e passa a ser chamado de “módulo”. Ou seja, cada projeto é um módulo independente. A criação de um novo projeto é bastante simples e intuitiva, sendo que o programador deverá já saber para que versões quer programar. Após isso, existe algumas actividades com layouts (ver abaixo) já por defeito e prontas a serem utilizadas.

A organização dos nossos ficheiros, como poderemos observar na próxima imagem e consequente descrição das pastas, também é um dos aspectos a ter em consideração no que toca a mudanças:

Android Files

  • manifests/ – Ficheiros “manifest” para o módulo
    • Utilizado, entre outras funcionalidades, para dar permissões à nossa aplicação.
    • Exemplo: Para que a nossa aplicação possa ter acesso à Internet, necessitamos de colocar a permissão neste ficheiro.
  • java/ – Ficheiros de código para o módulo
    • Para programar as funcionalidades teremos de ter noção de programação em Java e, o local para o fazer é dentro da pasta Java nos ficheiros que nos são apresentados.
  • res/ – Ficheiros Recurso para o módulo
    • Podemos encontrar um ficheiro “strings.xml” dentro de uma outra pasta chamada de “values”. Existe uma funcionalidade muito utilizada com esse ficheiro .xml, que nos permite definir uma string e dar-lhe um nome para depois ser utilizada em qualquer das actividades que o programador esteja interessado em lançar.
    • Dentro da pasta, entre outras opções, irá guardar os layouts da nossa aplicação. Os layouts são as janelas da nossa aplicação e é permitido ajustá-lo da forma “drag and drop” arrastando os botões disponibilizados na palete ou, podemos codificá-los na aba “Text” (canto inferior esquerdo)

layouts

  • Gradle Scripts / – Ficheiros “gradle” com as propriedades e build do módulo

Android Virtual Device (AVD)

Para corrermos a aplicação que estamos a testar, o Android Studio traz um emulador que podemos correr e realizar as opções como se de um dispositivo móvel se tratasse. O mais aconselhado, por uma questão de eficácia, é que se ligue o seu dispositivo android diretamente com o cabo USB ao computador. Para configurar dispositivos virtuais no seu emulador, deverá seguir os passos disponíveis aqui.

Correr um projeto no Android Studio

Para correr um projeto no Android Studio, o programador deverá fazer o “run” do projeto:

RunApp

De seguida, irá aparecer a escolha do dispositivo onde deve ser feita a emulação. Caso tenha o dispositivo ligado por um cabo USB ao seu computador, o dispositivo irá aparecer com as suas características na janela, caso contrário, irá ter a opção de lançar um emulador virtual activa:

ChooseEmulator

Fonte das imagens