A falta de sono e o Facebook: um estudo diferente

Damos por nós, embrenhados e sugados no ecrã do Facebook, vezes e vezes sem conta ao longo do dia. Não será propriamente porque estamos a ler algo de interessante, ou porque fazemos questão de olhar o mural do nosso colega mais uma vez. Pode ser sim um sinal de que não estamos a dormir o suficiente.

If you’re being distracted, what do you do? You go to Facebook. – Gloria Mark

O estudo relaciona cansaço, distracção e as redes sociais; ainda que desta vez, a premissa seja outra. Nesta pesquisa, não se estudou como o Facebook e as novas tecnologias influenciam a qualidade do sono, mas de que forma a duração e qualidade do sono influenciam o uso das novas tecnologias.

Parâmetros do estudo

O estudo levado a cabo pelos investigadores da Universidade da Califórnia – Irvine, Gloria Mark, Yiran Wang, Melissa Niiya e Stephanie Reich, contou com a participação de 76 estudantes da universidade. Os computadores e smartphones dos estudantes foram equipados com um software que recolhia o tempo que os estudantes acediam e trocavam de janelas e/ ou aplicações, telefonavam ou mandavam mensagens. Todas as manhãs, ao acordar, e todas as noites, ao deitar, os estudantes preenchiam um pequeno questionário. Foram sujeitos a uma entrevista final e a um questionário geral, e durante a semana em que o estudo, foram recebendo questões sobre o seu humor, se encontravam dificuldades de concentração nas tarefas que tinham entre mãos, e sobre o nível de empenho que colocavam no seu trabalho.

Os investigadores debruçaram-se atentamente sobre um ponto fulcral neste tipo de pesquisa: a “quantidade” de sono que os estudante necessitavam e aquilo que realmente dormiam.

Conclusões

As conclusões detalhadas deste estudo, serão apresentadas pela investigadora Gloria Mark numa conferência em Maio, mas ela avança ao Science Daily que os resultados apontam para uma conexão directa entre a falta de sono crónica, agravamento do humor e a navegação no Facebook. Também conclui que quanto menos as pessoas dormirem, mais distraídas são.

[Fonte: Science Daily]

Fonte das imagens