Ter um namorado geek, nerd, tech: chamam-lhe o que quiserem!

Não, isto não é mais um daqueles artigos que encontram por todo o lado na Internet: os 10 motivos para namorar um nerd, as 25 coisas que deve saber antes de começar uma relação com um geek, as 1001 coisas que um geek nunca lhe dirá, as 7 qualidades de um nerd, os 23 defeitos e meio de um programador informático!!

Até porque muitas daquelas coisas que se escrevem nesses artigos sensação, o mais que fazem é apelar ao seu clique, e criar-lhe uma ilusão desnecessária que seria uma sortuda em ter um namorado assim, só qualidades, zero defeitos; o príncipe encantado da internet, informática e jogos. Ok, talvez sirva para soltar umas belas gargalhadas durante a leitura, e isso até faz bem à saúde.

Mas os “bons rapazes” que gostam (e são mesmo viciados) de tecnologia, jogos, telemóveis, informática, programação, não têm que ser olhados e caricaturados como uma sub-espécie do Homem. Não são bons, nem maus, nem melhores, nem piores.

Na verdade, ter um relacionamento com um homem que percebe imenso de informática e tecnologia pode ser benéfico em muitas coisas, mas na mesma onda em que, namorar com o homem que seja canalizador ou electricista, é também benéfico em muitas coisas; temos sempre à mão quem nos trate de uma tomada estragada ou de um cano que pinga.

guy-coding

Sim, dá imenso jeito tê-lo por perto quando o computador dá um erro assustador, quando queremos instalar um software xpto, quando é preciso fazer importação de dados entre dispositivos xyz; mas tratar isto como uma super oportunidade de promoção: “namore com um nerd e tenha reparações gratuitas ilimitadas!”, é mascarar, puro egoísmo e relacionamento superficial,  de namoro, onde existe um sentimento verdadeiro.

A maioria dos namorados nerd, tech, geek, chamem-lhes o que quiserem, vão ser sempre pessoas muito especiais e singulares, pois ocupam-se em actividades que lhes atribuem estas e outras características; e o papel de quem partilha uma relação com eles é muito importante, na medida em que saberão tirar o melhor partido das situações.

Passar uma tarde inteira no shopping, enquanto o namorado está “colado” a programar, é um alívio não tê-lo por perto a pressionar para ir embora. Dar-lhe um recado, mas ele não ouve nada, está a desenvolver “não sei o quê” na web. Estar impaciente porque a aplicação do telemóvel está a falhar, e ele com toda a calma resolve o assunto. Barafustar sozinha e com o Java, que “não dá, não dá, mas já actualizei!”, e ele diz “funciona sim, queres ver?”. Quando dizemos que determinado menu, da página web que está a desenvolver, devia posicionar-se mais acima, e eles dizem “sim, sim, deves pensar que é fácil! Chegar aqui e já está!”.

Habituamos-nos, compreendemos, e até brincamos com as manias deles; no fundo não nos importa o que eles são, nem a que “grupos” pertencem, gostamos deles e pronto!

Concordam comigo?

Geekbra
Sugestão de um presente para ele no Dia dos Namorados 😉

 

Fonte das imagens