Google Cardboard: Análise Dark Shader

Neste artigo decidimos convidar um amigo a fazer uma análise do Google Cardboard Dark Shader, uns “óculos” de realidade virtual de baixo custo da gigante da internet Google.

Por Iuri Rocha para o Tech em Português

A realidade virtual tal como o 3D e a inteligência artificial é, na minha perspectiva, daqueles temas que causam furor, desperta atenção e depois volta a hibernar.
Algo que despertou imediatamente o interesse foi o facto de experimentar ou neste caso reexperimentar a “realidade virtual”. O facto de tal poder ser feito com um custo extremamente baixo, é de facto, motivador para embarcar na experiência.
À primeira vista, deparámos-nos com um equipamento um tanto ou quanto simplista,que deriva do seu baixo custo, tendo encontrando kits a partir de 10€. Com a Google temos até a oportunidade de criar o nosso próprio kit VR.

Análise do Google Cardboard

Passando à experiência propriamente dita, depois de ter montado o equipamento, como se de um lego se tratasse, segue-se o download da aplicação cardboard da Google. Existem várias aplicações prontas a tomar partido do conjunto, sendo a experiência em si agradável, tendo em conta o preço.

Notamos que a framerate não é a melhor, tanto quando a cena tem movimento ou quando estamos simplesmente a explorar o ambiente. O efeito de profundidade pode causar aquela impressão desconfortável quando tiramos os óculos. A experiência será portanto tanto melhor quanto a qualidade do dispositivo utilizado, estando esta optimizada para ecrãs de 5” e sendo compatível com um leque enorme de dispositivos. No caso o teste foi realizado com um humilde Galaxy S4.
É sem dúvida um conceito interessante e que vai ter um investimento considerável pelos grandes players no mercado. Como já aqui noticiamos, a Google está a trabalhar num novo modelo do Cardboard.

Já experimentou o Google Cardboard? Qual a sua opinião?

Fonte das imagens

  • Google Cardboard: ZAAK