Número de drones que ‘quase’ colidem com aviões é preocupante

O perigo é real e os números preocupantes! Segundo um relatório da UKAB (UK Airprox Board) , registaram-se 23 incidentes com drones entre Abril e Outubro do ano passado, só no espaço aéreo britânico. Ou seja, só em 6 meses, foram reportados 23 casos de drones que quase colidiram com aviões, e ninguém sabe exactamente o que aconteceria se um deles embatesse mesmo.

Os pilotos das companhias aéreas do Reino Unido estão a ser chamados para discutir e apontar medidas urgentes para acabar com estas situações.

Já muito se falou que o governo deveria implementar regras muito mais rígidas sobre os espaços onde os drones podem voar, mas também a obrigatoriedade de um seguro e registo dos proprietários de drones, seria mais uma medida suplementar. Implementar tecnologia que impeça drones de voarem perto de aeroportos é fulcral.

drones

Numa entrevista à BBC, Steve Landells, especialista em Segurança de Voo da Associação de Pilotos da British Airlines, disse que “precisamos agir agora para proteger passageiros, tripulantes de bordo e ter a certeza que não acontece um acidente catastrófico.” Mostra-se preocupado ainda com a possibilidade de um embate, dizendo que “um embate de um drone com um avião pode resultar numa falha incontrolável no motor ou na janela estilhaçada no cockpit”.

No relatório da UKAB existem 4 incidentes que foram designados de Categoria A, que significa que o risco de colisão foi extremamente elevado.

Aqui resumimos alguns dos incidentes mais graves:

25 de Abril 

Um helicóptero militar Lynx foi forçado a realizar uma “manobra evasiva” para evitar bater num drone sobre a vila de Hambrook.

17 de Junho 

O piloto de um autogiro (girocóptero) estava num treino a sobrevoar Detling a cerca de 1500 pés quando encontrou um drone. Foi por cerca de 20 metros que os dois não embateram e o piloto avaliou o risco de colisão como alto.

9 de Julho 

Durante o voo sobre Detling, os dois tripulantes da aeronave RJ1 avistaram um drone a uma altitude de 4000 pés que passou cerca de 60 pés abaixo da asa esquerda.

Acerca deste incidente, a UKAB concluiu que este drone só poderia estar a voar ilegalmente, uma vez que é impossível alguém conseguir vê-lo e controlá-lo a partir do solo.

26 de Julho 

Durante o voo da aeronave BE2000 com destino ao aeroporto de Southampton, um drone de cor prateada, passou a cerca de uma distância de 2 asas da mesma.

11 de Agosto

O piloto a bordo do avião militar Chinook estava a realizar um simulacro de uma falha no motor perto da base militar RAF Odiham, quando se apercebeu que um quadcopter equipado com uma câmara, estava a voar a cerca de 75 pés a seu lado.

27 de Agosto 

O piloto de um Dornier Do328, jacto de curta distância com capacidade para 30 passageiros, encontrava-se a uma altitude de 2800 pés e aproximava-se do aeroporto de Manchester, quando avistou um brilhante drone azul.

A UKAB determinou que este drone não estava permitido a voar naquele espaço aéreo.

13 de Setembro

Um Boeing 737 quase colidiu com um drone, poucos minutos depois da descolagem do aeroporto de Stansted, em Essex. O piloto disse que o incidente foi tão rápido que não houve tempo para tomar outras medidas.

13 de Setembro

Enquanto sobrevoava a zona do Parlamento na aproximação de Londres, o jacto Embraer 170 esteve a cerca de 20 metros de se cruzar com um drone.

22 de Setembro

Pouco depois de descolar do aeroporto de Heathrow, um Boeing 777, viu um drone passar muito rente à parte direita do avião. Investigadores concluíram que passou a cera de 25 metros do avião, e embora reportado à polícia, não conseguiram descobrir quem operava o drone.

boeing

Com todos estes incidentes, é natural que pilotos (e não só!) pensem que é apenas uma questão de tempo até se dar mesmo uma colisão. Na Associação de Pilotos da British Airlines existe a  preocupação de que estes incidentes aumentem nos próximos meses, “as pessoas recebem prendas e colocam-nas no ar, muitas vezes sem experiência alguma e sem perceberem as regras do ar”.

A associação quer que o governo e a Autoridade de Aviação Civil efectue e financie testes para ver quão grave seria uma colisão entre um drone e um avião.

As pessoas que operam drones demasiado perto de aviões ou de espaços proibidos, poderão enfrentar processos na justiça, pois colocam em perigo aviões e passageiros, com uma sentença máxima de 5 anos de prisão; mas isso só acontece se forem rastreados.

Ainda não há dados oficiais em Portugal, mas…

Tem conhecimento de algum incidente deste género que queira partilhar? Comente, gostaríamos de saber!

[Fonte: Vice News, Yahoo, Balpa]

Fonte das imagens