“Vacas inteligentes” são quase uma realidade

O mundo da Internet of Things ou Internet das coisas está a evoluir a um ritmo alucinante, desde as casas inteligentes, carros, televisões e até mesmo “vacas inteligentes”.

A industria de produção de carne está cada vez mais exigente e a concorrência é cada vez maior entre produtores, o que leva, cada vez mais, a procurar soluções para optimizar a produção. Nos dias de hoje, a inseminação natural na produção animal é cada vez menor, sendo trocada pela inseminação artificial, pois pode ser controlada pelo ser humano. Contudo existe um pequeno problema, pois os sinais de fertilidade duram apenas algumas horas, o que leva a que de vez em quando sejam imperceptíveis para o ser humano (caso ocorram durante a noite, por exemplo).

O que torna “inteligentes” estas vacas?

Um dos sinais de fertilidade é um aumento do movimento, como por exemplo, andar mais do que é normal. Está também comprovado que maior parte dos períodos férteis ocorrem durante a noite, quando não existe ninguém por perto.

Para resolver esta questão a empresa de electrónica japonesa Fujitsu desenvolveu um sistema para monitorizar o período de fertilidade dos animais através de um sensor de movimento, que conta os passos das vacas e caso estas caminhem mais do que o normal é um sinal de que estão num período de fertilidade e podem ser inseminadas na manha seguinte, aumentando assim a taxa de gravidez.

Aqui temos um bom exemplo da aplicação da tecnologia ao sector agrícola, no entanto existem algumas preocupações em relação à segurança e privacidade dos dados, quando todos estes dispositivos se ligam à internet.

[Fonte: Fujitsu via Re/Code]

Fonte das imagens