Programadores: Café curto, normal ou longo? Qual o mais forte?

Programadores, esses tais que precisam de tanta cafeína no sangue… E a cafeína, onde é que podemos encontrar uma maior quantidade dela? Qual o melhor para manter um programador acordado e com a “força toda”? Café curto, normal ou longo? Não sabe? Então nós iremos responder à questão!

Programadores: Café curto, normal ou longo?

Antes de mais, sabemos todos que o café é feito a partir de água quente que, com alta pressão, passa pelo café e caí na chávena. A água arrasta algumas substâncias existentes nos grãos de café para a chávena e a pressão origina a tão apreciada emulsão que compõe o café!

Quanto mais água passar pelos grãos de café, maior a quantidade dos diversos componentes (incluindo a cafeína) que são arrastados para a chávena!

Os volumes, quantidades e concentrações dos vários tipos de café, são os seguintes (tabela fornecida pela Delta Cafés):

Tipo de Café
Volume Total (mL)
Quantidade de Cafeína (mg)
Concentração de cafeína (mg/mL)
Curto
25
87,0
3,5
Normal
35
94,5
2,7
Longo
45
98,1
2,2

Como podemos observar pela tabela, à medida que o volume aumenta, a quantidade de cafeína também aumenta mas, a concentração da mesma diminui.  Ora, tal situação pode ser explicada por fórmulas mas, em nada iriam responder de forma objectiva à nossa questão principal, que é:

Afinal de contas, qual o “mais forte”?

Ora, para o nosso organismo, o que conta é a quantidade e não a concentração. Neste caso, o que tem mais cafeína é o longo, pelo que é o mais forte entre os outros!

Concluindo, se o leitor necessitar de ficar acordado, então o que realmente precisa é de cafeína, logo deve beber um café mais longo. Mas, se o leitor quiser um café com um sabor mais intenso, então deverá optar por um café mais curto.