Reverter o envelhecimento. Benjamin Button, o filme, agora na realidade.

Este é um novo estudo realizado por cientistas no instituto de Salk, em Jolla, na Califórnia. Eles desenvolveram uma nova forma de terapia genética que produziu efeitos significativos quando testados em ratos de laboratório. Conseguiram reverter o envelhecimento!

Reverter o envelhecimento. Benjamin Button, o filme, agora na realidade.

Seis semanas depois de ratos de laboratório terem sido submetidos a uma nova terapia inovadora, os animais pareciam mais jovens. A coluna ficou mais direita, apresentaram melhorias de saúde cardiovascular e viviam 30% mais do tempo, com menor risco de cancro.

São estas as melhorias que com a tecnologia, estes cientistas conseguiram descobrir esta terapia!

O líder da investigação, Juan Carlos Izpisua Belmonte, disse o seguinte ao jornal The Guardian:

O nosso estudo mostra que o envelhecimento pode não ter que seguir numa única direcção. Com uma modelação cuidada, o envelhecimento pode ser revertido

Esta terapia, contudo, ainda não pode ser aplicada em humanos (as previsões são para daqui a uma década). Esta técnica desafia a ideia de que o envelhecimento é um processo físico de desgaste, que se verifica ao longo dos anos.

Importa ainda clarificar que os cientistas afirmam que isto não elimina o envelhecimento mas, a esperança média de vida pode aumentar.

Esta técnica envolver “rebobinar” células adultas e transformar as mesmas em células idênticas às existentes nos embriões (células pluripotentes) que dão origem a vários tipos de orgãos. Assim, foi possível rejuvenescer as células sem que estas perdessem as principais funções.

Segundo Wolf Reik, professor da Universidade de Cambridge (que não esteve envolvido na investigação) considerou estes resultados de “surpreendentes”:

Isto não é ficção científica

E agora, até onde poderá ir a tecnologia?