Tecnologia unida para salvar Rinocerontes

Segundo alguns estudos, prevê-se que os rinocerontes vão desaparecer até 2025, sendo no momento uma espécie protegida por essas razões. Mas, e se pudéssemos  utilizar a tecnologia para proteger esta espécie da extinção?

Segundo noticia a BBC existe uma operação em curso que tem por objectivo salvar os rinocerontes dos caçadores furtivos usando a tecnologia. Um acordo entre a gigante das redes, Cisco, e a empresa Dimension Data da África do Sul, vai permitir que todas as pessoas e veículos sejam controlados assim que entrem em reservas naturais.

Neste momento existem 25000 rinocerontes na natureza, estando a esmagadora maioria na África do Sul. e por ano desaparecem cerca de 1000 apenas por causa do marfim.

Qual é o plano para salvar os rinocerontes?

As empresas uniram-se e delinearam um plano elaborado para terminar com este flagelo. Inicialmente foi criada uma rede local, com Wi-Fi hotspots na reserva adjacente ao Parque Nacional de Kruger. A próxima fase do plano inclui um circuito de CCTV e um sistema de câmaras de infra-vermelhos com imagens térmicas, uso de drones e um sistema de tracking a implementar nos veículos que entrem no parque.

Todos os visitantes da reserva serão avisados do sistema de tracking no veículo e serão controlados todos os documentos das viaturas no portão de entrada, para evitar que pessoas entrem com carros roubados para caçar rinocerontes.

Parece um plano bem elaborado e, possivelmente, será utilizado noutras reservas para proteger outras espécies protegidas, como por exemplo, os elefantes, leões e tigres.

[Fonte: BBC]

 

Fonte das imagens

  • Rinocerontes: Thinkstock

António Sousa

António Sousa, técnico de redes e sistemas informáticos e fundador do Tech em Português! Sou um amante das novas tecnologias e um aventureiro dessa grande "auto-estrada" que é a internet!

You May Also Like

Galaxy Buds vs AirPods 2: Comparação

i9: Nova linha de processadores da Intel

Zealot B20: Os headphones low cost do momento

SheepIT: A coleira que “ensina” os rebanhos a seleccionar a comida nas vinhas

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies