Oumuamua: Objeto interestelar que a NASA diz poder ser uma Nave Alienigena

Oumuamua, um estranho objeto de forma tubular que durante o ano passado passou pelo nosso sistema solar, poderia ser uma sonda alienígena enviada para estudar a Terra. Esta é uma das hipóteses deixadas por Shmuel Bialy e Abraham Loeb, investigadores no Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian, num artigo disponibilizado no repositório arXiv.

Oumuamua: Objeto interestelar que a NASA diz poder ser uma Nave Alienigena

“O mensageiro que nos alcança vindo do passado”

É este o significado da expressão em dialeto havaiano escolhida para caracterizar o objeto que andou a flutuar pelo espaço. Identificado pela primeira vez em outubro de 2017 (pelo telescópio Pan- STARRS 1, no Havai), este fenómeno ainda não é consensual entre cientistas e estudiosos do Universo (e não só). Inicialmente descreveram o objeto como sendo um cometa, depois como um asteroide, tendo mais tarde decidido chamar-lhe uma “nova classe de objeto interestelar”.

Agora, o artigo, divulgado pela CNN, levanta a possibilidade de este objeto alongado, vermelho escuro, com um comprimento dez vezes maior que a largura, e que viajava a 315.431 quilómetros por hora, ter uma “origem artificial”. “O ‘Oumuamua pode ter sido uma sonda enviada de propósito para os arredores da Terra por uma civilização alienígena”, diz-se no estudo que foi submetido para publicação na revista científica Astrophysical Journal Letters.

A teoria baseia-se na “aceleração acentuada” do dito objeto que saiu do “nosso” sistema solar em janeiro de 2018. “Considerando uma origem artificial, o ‘Oumuamua pode ter sido ‘lightsail’ [uma nave, com formato de papagaio de papel, movida a energia solar]  ou destroço de um equipamento tecnológico avançado que navegava pelo espaço”, sugerem os autores do estudo, que levantam ainda a possibilidade deste “charuto”, como alguns norte-americanos lhe chamam, ser alimentado por radiação solar.

Abraham Loeb, professor de astronomia, e Shmuel Bialy, académico pós-doutorado, assinam o artigo que se inspira em ‘lightsails’ já existentes na Terra. “‘Lightsail’ com dimensões semelhantes já foram desenhadas e construídas, incluindo o projeto IKAROS e a Starshot Initiative. Esta tecnologia pode ser amplamente utilizada para transportar cargas entre planetas ou estrelas”, lê-se no trabalho de Loeb e Bialy. A sua alta velocidade e trajetória irregular pode ser justificada pelo facto de poder já estar inoperacional.