Drones monitorizam a vida selvagem na Austrália

Drones monitorizam a vida selvagem na Austrália

Nos últimos anos a utilização de drones para as mais variadas tarefas tem vindo a aumentar.

Já utilizados como ferramentas de distribuição até à monitorização da temperatura corporal devido à recente pandemia do Corona Vírus, todos os dias existem novas possibilidades para o uso desta tecnologia. Actualmente, a vida selvagem na Austrália está a começar a ser monitorizada.

Mas agora na Austrália, a empresa Westpac Little Ripper está a utilizar os seus equipamentos como ferramenta para vigiar e monitorizar a vida selvagem que ainda resta no continente, depois da última devastadora vaga de incêndios.

Começaram pelos tubarões…

A Westpac Little Ripper foi a  mesma empresa que há mais de 3 anos começou a utilizar drones também como ferramenta para monitorizar tubarões. Nas praias de águas azuis que os banhistas e surfistas frequentam de modo a prevenir acidentes e encontros indesejados.

Agora está concentrada em vigiar de perto a parte da floresta e arvoredo que sobreviveram aos incêndios para identificar e vigiar que espécies de animais ainda vivem ali e estudar o seu comportamento.

Como são usados os drones?

Voam os drones durante a noite porque a temperatura é mais baixa do que durante o dia.  Uma vez que estão equipados com câmaras de leitura de temperatura que apenas funcionam correctamente com temperaturas mais baixas, precisam trabalhar à noite. Permitindo-lhes assim identificar perfeitamente animais devido à sua temperatura corporal, mesmo que estejam escondidos dentro de floresta ou arvoredo denso.

Permite identificar a espécie através da temperatura corporal

Os drones além de conseguirem ler a temperatura corporal dos animais, estão capacitados com uma tecnologia desenvolvida de forma a conseguirem distinguir as diferentes espécies de animais selvagens através de diferentes temperaturas corporais.

Um canguru não tem a mesma temperatura corporal de um cão selvagem australiano. Porque, por exemplo, têm diferentes camadas de pêlo e a câmara de temperatura consegue captar isso. Além de que permite também gravação de todos estes dados.

Permite também, após identificada a espécie observada, estudar se o animal está a mover-se de forma natural e se o seu comportamento está adequado ao comportamento padrão para aquela espécie.

Quando identificado qualquer movimento anormal, toda a informação incluindo a localização do animal são enviadas para uma equipa de salvamento.

A tecnologia da câmara do drone está bastante desenvolvida o que permite monitorizar grandes superfícies de terreno num piscar de olhos.

Fonte: BBC

Janete Matos Sousa

Tecnologia não era bem a sua praia, mas lançou-se ao desafio! Escreve, edita e revê artigos para o Tech em Português. Licenciada em Contabilidade e Auditoria, mostra-se insaciável na leitura, escrita e descoberta do mundo que nos rodeia.