Startup portuguesa vence financiamento europeu para PME’s

A TWEVO – startup portuguesa fundada por dois investigadores do Instituto de Telecomunicações, Carlos Ribeiro e Mónica Figueiredo – acaba de conquistar o financiamento europeu SME Instrument. Avaliado por um painel de especialistas internacionais em tecnologia, negócios e finanças, o projeto foi considerado uma das cinco melhores propostas, entre as mais de 650 candidaturas provenientes de toda a Europa. A TWEVO utilizará, agora, o financiamento do SME Instrument para efetuar uma avaliação ao mercado europeu e, nesse contexto, obter feedback sobre o potencial do seu produto.

Qual a oferta da startup portuguesa?

A oferta da TWEVO consiste no REVOsdr, um modem que minimiza a probabilidade de um drone ficar sem controlo ou ser hackeado, proporcionando proteção extra aos dados de comando transmitidos. A possibilidade de manter a ligação wireless durante mais tempo e por distâncias maiores, assim como a capacidade de lidar com jamming intencional ou decorrente de outros equipamentos rádio, são mesmo as características mais diferenciadoras do projeto.

Projeto vence “A Liga dos Campeões das empresas”

O SME Instrument é parte integrante do Conselho Europeu de Inovação (EIC) e apoia empresários, empresas e cientistas através de oportunidades de financiamento e serviços de aceleração. Assente na ideia que a inovação melhora a produtividade e a competitividade, gera novos postos de trabalho e conduz a padrões de vida mais elevados, o SME Instrument seleciona os projetos mais disruptivos de PME’s de toda a Europa. Para Bernd Reichert, diretor da Agência Europeia para PME, “trata-se da Liga dos Campeões das empresas”.

Refira-se que esta não é a primeira distinção conquistada pela TWEVO, que foi, em 2016, reconhecida pelo programa de empreendedorismo Carnegie Mellon Portugal Entrepreneurship in Residence (inRes). O galardão levou a startup aos EUA, com o objetivo de validar as necessidades do mercado e desenvolver um produto com maior valor acrescentado.