És espiado pelo Facebook, vem saber como

Domingo celebra-se o dia europeu da protecção de dados. O Facebook é uma das plataformas onde mais informação pessoal divulgamos. Idade, gostos e até a nossa localização. A rede social consegue saber quase tudo sobre nós. Mas como?

És espiado pelo Facebook, vem saber como

Nunca teve de pagar para usar o Facebook, e anda a ser espiado sem saber como. Esta é uma realidade com que provavelmente se depara todos os dias. Quer saber como?

Ninguém sabe ao certo quanto vale a nossa informação, mas dá dinheiro a ganhar a muita gente. A Luth Research, uma empresa de análise de mercado, cobra 80 euros por mês, a mais de 25 mil clientes, para analisar a actividade de várias pessoas, no smartphone, tablet e computador.

Então, como é que o Facebook chega aos nossos dados?

  • Os dados utilizados na criação de conta são os primeiros recolhidos. Idade, género, email e número de telefone estão entre os mais valiosos. Já deve ter recebido chamadas de lojas a que nunca deu o número e que não conhece. Há empresas que compram pacotes de dados às redes sociais. Mas isto não acontece só no mundo digital. Sempre que adere ao cartão de cliente de algum estabelecimento comercial e dá estes dados, corre o risco de que sejam partilhados para outros fins.
  • A geolocalização é outro dos aspectos mais valorizados. Com este serviço activado, o Facebook consegue saber os locais que visita e traçar um perfil GPS dos seus movimentos.
  • Sempre que gostamos de alguma página ou publicação estamos a demonstrar interesse por algo. Se gostar de um hotel em Paris, é provável que, por exemplo, lhe apareça informação sobre empresas de aluguer de carros nessa mesma cidade. A sua pegada digital vale mais do que aquilo que pensa.
  • Quando faz login com a conta de Facebook em algum site está a dizer à rede que pode vigiar o que está a fazer. No fundo, está a pagar com a sua informação pessoal a comodidade de não ter de fazer mais um registo.