5 segredos revelados por Zuckerberg

Mark Zuckerberg foi obrigado a trocar a t-shirt que habitualmente usa por um fato. O escândalo da Cambridge Analytica levou o presidente do Facebook a responder a milhares de perguntas no Capitólio dos EUA, durante a ultima semana mas não só, este também revelou segredos importantes acerca da rede social

5 segredos revelados por Zuckerberg

As principais suspeitas apontam para que a Cambridge Analytica, usando dados dos utilizadores do Facebook, tenha ajudado Donald Trump a vencer as eleições. Na Europa, são o Brexit e o referendo da independência da Catalunha que preocupam as autoridades.

Entre as várias revelações feitas por Zuckerberg perante os políticos norte-americanos há algumas que podem surpreender.

Facebook não vende dados

Foi um ponto sublinhado até à exaustão. Mark Zuckerberg garante que não vende dados dos utilizadores. São as empresas que compram publicidade que informam a rede social dos públicos que querem atingir. Depois, o Facebook direciona a publicidade para essas contas.

O Facebook será sempre gratuito

“Haverá sempre uma versão gratuita”, explicou Zuckerberg. A reposta surge depois de o senador Orrin Hatch ter questionado como é que a empresa ganha dinheiro sem cobrar qualquer taxa aos utilizadores. O fundador da rede disse que o faz com publicidade e voltou a afirmar que não vende dados dos utilizadores a empresas externas.

Todos os dados são guardados

A senadora Deb Fischer foi dura com Zuckerberg, nomeadamente sobre os dados que a rede armazena. O responsável pelo Facebook acabaria por confessar que a rede guarda, por um lado, a informação que os utilizadores decidem partilhar e, por outro, dados que ajudam a melhorar o sistema de publicidade, como as páginas que visita e até as conversas. Para defender-se disse: “Os utilizadores têm controlo sobre as duas categorias”.

Há uma “corrida armada” ao Facebook

A intervenção de agentes externos, como as empresas que criam notícias falsas, é um ponto que está a deixar Zuckerberg preocupado. O empresário fala mesmo de uma “corrida armada” para tirar proveito dos sistemas de Internet e pede ajuda para combater estes agentes.

Rede ajuda as autoridades

A intervenção russa nas eleições dos EUA obrigou o Facebook a colaborar com as autoridades, partilhando dados de utilizadores. Para não preocupar os utilizadores, Zuckerberg garantiu que isto apenas acontece em casos muito particulares.

Fonte: [JN]